A Lenda do Guaraná

(Os Saterês Maués são um grupo indígena Tupi, responsáveis por descobrirem o guaraná, uma frutinha de onde é extraída uma substância poderosa que hoje distingue e identifica o Brasil).

Na aldeia Saterê Maués, no baixo Rio Negro, nasceu Alupá, para grande alegria dos seus pais Taíra e Naiara.

Alupá era um bom e bonito curumim, inteligente e interessado em aprender a cultura da sua tribo. Pescava com seu pai, plantava com sua mãe e era um ás no arco e flecha. Todos os dias nadava com os outros curumins e quando a noite chegava sentava em círculo, e ouvia histórias dos mais velhos.

Alupá ia aos poucos aprendendo todos os segredos da floresta, mas havia para ele um mistério: Jurupari, o espírito do mal. Sempre que pedia explicações, os mais velhos desconversavam; só diziam que Jurupari era o espírito do mal.

Jurupari já tinha ouvido falar do indiozinho e o quanto mais falavam bem dele, menos o danado gostava do curumim.


Resolveu então conhecer o menino; ficou invisível e começou acompanhar Alupá por onde ele andasse. Jurupari viu como ele era querido pelos animais da floresta, como brincava e se divertia como os outros meninos da aldeia.


Jurupari, morto de inveja, resolveu se transformar em uma cobra e todo lugar que Alupá ia Jurupari em forma de cobra o seguia preparando o bote.

Um dia Alupá subiu em uma mangueira e chupava distraidamente as mangas deliciosas, quando Jurupari transformado em cobra picou sua perna. Jurupari fugiu e Alupá morreu.

Taíra, Naiara e toda a tribo ficaram inconsoláveis, o Xamã então lhes disse:

“Quem fez isso foi Jurupari disfarçado de cobra”. Nesse momento ouviu-se um trovão, Tupã disse no ouvido de Naiara que plantasse os olhos do seu filho como se fossem sementes; deles nasceria uma planta que daria uma fruta em formato dos olhos de Alupá; essa frutinha seria Alupá sempre presente no meio dos Saterês Maués para sempre.

Taira e Naiara plantaram os olhos do seu filho e deles nasceu, em forma do Guaraná, uma das maiores riquezas do Brasil.

Você Sabia?

Caros professores: Vinculada à cultura agrícola, como muitas outras, essa história fala do surgimento do guaraná como uma dádiva do divino, assim como todas as outras culturas agrícolas indígenas. As lendas indígenas são de uma delicadeza extrema; tratam da relação com o sagrado, com a natureza – em geral, com muita reverência. Explicam o surgimento de todos os elementos da natureza e sua relação com o índio de uma forma mágica e respeitosa. Crie em sua sala de aula um ambiente mágico também e ouça com as crianças, por exemplo, O Guarany, de Carlos Gomes.

Fale Conosco:
Envie uma mensagem AQUI

Ligue:

71-99301-1000

  • youtube
  • facebook
  • instagram

CONHEÇA MAIS UM POUCO DAS NOSSAS REDES SOCIAIS