Mãe D´agua

Foi uma vez uma princesa que era filha de uma fada e do rei da Lua. A fada ordenou que a princesa fosse a rainha de todas as águas da terra, e governasse todos os mares e rios. A Mãe d’agua, assim se ficou chamando a princesa.

 

Era muito bonita, e muitos príncipes se apaixonaram por ela. Mas foi o filho do Sol que veio a se casar com ela, ao depois de ter vencido todos os seus rivais em combate. Quando se deu o casamento houve muitas festas e danças, e banquetes, que duraram sete dias e sete noites.

 

As festas foram na casa do rei Lua; acabadas elas os noivos partiram para a casa do Sol. Aí a princesa Mãe d’água disse a seu marido que desejava passar com ele todo o ano, exceto três meses, que havia de passar com sua mãe.

 

O príncipe consentiu, porque fazia em tudo a vontade de sua mulher. Todos os anos a Mãe d’água ia passar com sua mãe debaixo do mar num rico palácio de ouro e de brilhantes os três meses do contrato. No cabo de muito tempo a nova rainha deu à luz um príncipe.

 

Quando a princesa teve de ir de novo visitar a fada, sua mãe, quis levar o principezinho, mas o rei não consentiu; e tanto rogou e pediu, que a rainha partiu sozinha, recomendado ao marido que tivesse muito cuidado no filho.

 

Chegando ao palácio da fada, a princesa a não encontrou, porque ela estava mudada em flor. A moça, desesperada, começou a correr mundo, procurando sua mãe. Então ela perguntou aos peixes dos rios, às areias do mar, às conchas das praias por sua mãe, e ninguém lhe respondia.

 

Tanto sofreu e se lastimou que afinal o rei das fadas teve pena dela e perdoou à sua mãe, que desencantou. Ambas, mãe e filha, se largaram a toda a pressa para a casa do rei filho do Sol. Mas tinha-se já passado tanto tempo que o rei, vendo que sua esposa não vinha mais, ficou muito desesperado.

 

Correu então o boato que a rainha tinha-se apaixonado por um príncipe estrangeiro e tinha por isso deixado de voltar. O rei, visto isto, se casou com outra princesa, que começou logo a maltratar muito o principezinho, botando-o na cozinha com um negro.

 

Quando a rainha ia chegando, a primeira pessoa que viu, foi seu filho todo maltratado e sujo, e logo o conheceu e soube de tudo. Ela fugiu então com ele para o fundo das águas, e por sua ordem elas começaram a subir, até cobrirem o palácio, o rei, a rainha, e todos os embusteiros da corte. Nunca mais ninguém a viu, porque quem a vê fica logo encantando e cai n´água e se afoga.

Você Sabia?

Histórias africanas são, em geral, explicativas das relações com a vida e o entendimento dos seus fenômenos. 

Fale Conosco:
Envie uma mensagem AQUI

Ligue:

71-99301-1000

  • youtube
  • facebook
  • instagram

CONHEÇA MAIS UM POUCO DAS NOSSAS REDES SOCIAIS