O Macaco e o Coelho

O macaco e o coelho eram amigos, viviam na mesma floresta e um dia resolveram fazer um trato. O macaco mataria todas as borboletas que encontrasse e o coelho se encarregaria de matar as cobras. Saíram então cada uma para um lado.

O macaco era mestre em esquecer as promessas que fazia. Tomou seu rumo, cabriolando e cantando pela estrada como era o seu jeito. O coelho era muito distraído, saiu pela floresta mais interessado em ler seu jornalzinho que matar cobras. Logo adiante, sentou-se numa pedra e se envolveu com a leitura.

Quando o macaco voltou, viu o coelho distraído lendo seu jornal, as orelhas do coelho se destacavam por trás da pedra.

O macaco pensou, - “Vou pregar uma peça nesse bobo”. Com um pau, deu uma paulada nas orelhas do coelho que deu um grande salto.

O coelho ao ver o macaco compreendeu tudo, viu que o macaco tinha lhe pregado uma peça. – “Oh compadre coelho - mentiu o macaco - me enganei, pensei que suas orelhas eram um grande par de borboletas...”

-“Não posso acreditar nisso!”, disse o coelho correndo para o mato.

Ocoelho então se armou de um cacete e pacientemente esperou pela vez de pegar o macaco distraído.

Não demorou muito e lá estava o macaco sentado embaixo de uma bananeira, atrás de uma touceira de capim comento as bananas, somente o rabo aparecia.

O coelho então pensou – “chegou a hora!” E zás... Deu uma cacetada no rabo do macaco.

O macaco deu um grande grito e saiu gritando pela floresta – “Desculpe compadre macaco, pensei que seu rabo era uma grande cobra... Nosso trato está desfeito”.

E assim desfizeram o trato para alegria das borboletas e das cobras.

O Macaco fez um bolo.

Na floresta dos Cairiris havia um macaco cuja distração era pregar peças, passava os dias arquitetando suas brincadeiras de mau gosto. Tinha dois péssimos defeitos, mentia muito e pedia emprestados objetos que nunca devolvia.

Um dia o macaco resolveu fazer um bolo. Saiu pedindo aos amigos da floresta os ingredientes que necessitava. A todos prometia devolver em seguida, “amanhã eu pago” dizia ele.

Pediu a galinha dois ovos, ao cachorro pediu 2 litros de leite, a raposa pediu um pouco de farinha, a onça um pouco de manteiga, o fermento e a fôrma o macaco tinha em casa.

A todos o macaco convidava, “mais tarde vá lá a casa comer o bolo”.

Quando chegou a tarde o macaco pôs-se a janela da sua casa, esperando os convidados. A primeira a chegar foi a galinha. Mal ela provava um pedacinho do bolo, o macaco com a cara de assustado diz- “Comadre galinha se esconda em baixo da mesa, que ai vem o cachorro e ele pode lhe comer” A galinha escondeu-se tremendo de medo quando entrou na sala um cachorro perdigueiro perito em caça que foi logo dizendo: “Estou sentindo cheiro de galinha”.

“Não é galinha não, compadre cachorro, é cheiro de bolo, prove um bocadinho”, enquanto dizia isso apontava para debaixo da mesa.

O perdigueiro não fez por menos, entrou em baixo da mesa, pegou a galinha e comeu-a todinha. Feito isso pediu o bolo quando o macaco com cara de aflito lhe diz: “Corra compadre cachorro, se esconda atrás do armário que já vem chegando a Raposa para comer o bolo”.

O cachorro morto de medo se escondeu atrás do armário. A raposa foi entrando, apurando o faro dizendo: ”O bolo está bonito, mas estou sentindo cheiro de cachorro”.

-“Que nada amiga raposa, prove um pedacinho e vá comer junto do armário” A raposa olhou para o armário e viu o cachorro, e num só bote devorou-o, sobrando somente o couro.

O macaco então disse: ”Comadre raposa acho melhor a senhora se meter em baixo da cama, pois vem vindo a comadre onça”.

Mal o macaco acabou de falar entra a onça dizendo: “Compadre macaco seu bolo está uma beleza, mas estou sentindo cheiro de raposa.”

O Macaco estava muito feliz com seu plano para não pagar os ingredientes.

-“Macaco onde está a raposa... estou sentindo cheiro de raposa...” O macaco tentou enganar a onça dizendo: “Aqui só tem bolo, comadre...”. A onça pisou forte e rosnou, morto de medo da onça o macaco resolveu dizer: “Em baixo da cama... comadre... a raposa está em baixo da cama...”

A Onça esfomeada e feroz devorou de uma vez a raposa, depois comeu o bolo todinho, em seguida disse: “Agora Macaco sabido devolva minha manteiga”.

O macaco argumentou: - “mas comadre, a senhora já está bem servida. Comeu a raposa que comeu o cachorro, que comeu a galinha e ainda comeu o bolo todinho...”.

A onça disse: “Muito bem amigo macaco, você foi muito sabido, mas agora vai virar comida de onça”. Dito isso, devorou o macaco também, e saiu lambendo as barbichas.

Você Sabia?

Histórias africanas são, em geral, explicativas das relações com a vida e o entendimento dos seus fenômenos. 

Fale Conosco:
Envie uma mensagem AQUI

Ligue:

71-99301-1000

  • youtube
  • facebook
  • instagram

CONHEÇA MAIS UM POUCO DAS NOSSAS REDES SOCIAIS