A Onça e o Veado

Os animais sempre viveram na floresta, abrigando-se em tocos de árvores, cavernas, embaixo de pedras, em buracos na terra e na copa das árvores.

Um belo dia o veado resolveu construir sua casa. “Vou arranjar um belo lugar para construir a minha casa”, disse ele.

Escolheu um lugar bonito, verdinho, florido, na beira do rio.

A onça também se decidiu –“Vou escolher um lugar bem bonito e vou fazer uma bela casa”.

Saiu para escolher o lugar e, sem saber, resolveu construir sua casa no mesmo lugar que o veado.

No dia seguinte, o veado foi ao terreno, limpou o mato, capinou, retirou o lixo e foi embora descansar.

Quando a onça chegou e viu o terreno todo limpo disse. –“É deus que está me ajudando!”.

Enfiou quatro estacas no chão e ergueu as paredes.

No dia seguinte o veado, quando chegou, ficou muito feliz. –“Deus está me ajudando!”.

Trabalhou o dia inteiro e cobriu a casa, depois foi dormir morto de cansaço. Parecia até que a onça e o veado tinham combinado; quando um estava trabalhando, o outro estava descansando.

Um dia a casa ficou pronta e a onça mudou-se, e ocupou um quarto. No dia seguinte, à tardinha, chegou o veado com a sua mudança e ocupou o outro quarto.

De manhã os dois se encontraram. “Então era você que estava me ajudando?”. Depois de muita discussão resolveram morar juntos, cada um na sua.

Combinaram as tarefas, quem buscava água, quem limpava a casa, quem saía para caçar e quem cozinhava.

A onça saiu para caçar e trouxe um veado muito grande e deixou na porta. O veado ficou muito apreensivo, mas, conforme combinado, tratou e cozinhou o veado. Mas não comeu.

No dia seguinte era a vez do veado caçar. Na floresta ele viu uma onça dormindo e um tamanduá caçando formigas. O veado disse ao tamanduá. –“Está vendo aquela onça? Ela vive dizendo que vai comer você.” O tamanduá ficou muito irritado, aproveitou que a onça estava dormindo, deu-lhe um abraço pelas costas e matou-a.

O veado arrastou a onça até a porta da casa e disse “Hoje é seu dia de cozinhar”.

A onça ficou com medo do veado, tratou, assou a carne, mas não comeu.

O veado vigiava a onça e a onça vigiava o veado. Passavam os dias e as noites de guarda. Uma noite o sono traiu o veado, que caiu e bateu a cabeça numa madeira, fazendo zoada. Com medo da reação da onça, fugiu e bateu a porta. A onça, que também dormia, assustou-se com o barulho e com medo do veado fugiu para a floresta sem olhar pra trás.

Nunca mais voltaram, ficando a casa abandonada.

Você Sabia?

Queridos professores: As histórias africanas nos permitem trabalhar as atitudes e os comportamentos. Sugerimos que seja incentivada em sala de aula a teatralização desse texto, com a criação de diálogos pelas crianças visando o entendimento, as circunstâncias e o comportamento de cada personagem. As histórias precisam ser comentadas, interpretadas e sentidas, adaptadas à realidade de sala de aula e contadas oportunamente em cima de fatos e atitudes, surgidos entre as crianças. Poderíamos teatralizar cada uma delas, dando às crianças a oportunidade de se expressarem, contribuírem e alterarem o texto conforme seu entendimento. Não percam essa oportunidade.

Fale Conosco:
Envie uma mensagem AQUI

Ligue:

71-99301-1000

  • youtube
  • facebook
  • instagram

CONHEÇA MAIS UM POUCO DAS NOSSAS REDES SOCIAIS