Legado Português

Mas quem eram os Portugueses? E o que nos legaram?

Vamos entender povo português. Viviam na Europa, na península Ibérica. Descendentes de muitos povos como os fenícios, celtas, visigodos, suenos, romanos, árabes e judeus. Conservam na sua cultura até hoje traços de cada uma dessas civilizações que trouxeram para o Brasil, influenciando assim nossa cultura, até então somente indígena.

Fenícios

Viveram em torno de 1.000 anos A.C. e tinham origem semita (povo que falava línguas semíticas, como arameus, judeus, etíopes). Viviam entre o Mar Morto e o Mar Vermelho, onde atualmente é o Líbano. A principal atividade do povo fenício era o comércio marítimo. Proporcionaram a troca de mercadorias, conhecimentos e costumes entre gregos, egípcios, tribos da África e, posteriormente, a península ibérica. Desenvolveram técnicas de navegação, construção de barcos, utilizavam o vidro, o tecido, a cor púrpura, o ferro e criaram o alfabeto a partir do qual é instituído o alfabeto latino. Introduziram a cultura do vinho. Trouxeram da Ásia menor o cultivo das oliveiras. Onde mais se percebe sua presença em Portugal é na região do Algarve, portanto, no Sul de Portugal.

Celtas

Povos guerreiros, vieram do norte da Europa, viviam em tribos e eram conquistadores. Desenvolveram o manuseio do ferro e da metalurgia, fabricavam com primor usando figuras geométricas suas lanças, espadas, machados, escudos e capacetes. Cultivavam a guerra e guerreavam corpo a corpo. Invadiram a península Ibérica no período de 270 A.C, localizando-se na região do Douro, no norte de Portugal. Adoravam muitos deuses e sua cultura nos legou as fadas, as bruxas, os druidas, os duendes, os ogros, transmitidos oralmente através de histórias aos seus descendentes.

Romanos

Chegam à península ibérica, que passa então a ser chamada de Luzitânia em 219.A.C. Foi a mais importante influência cultural para as populações que viriam posteriormente a constituir o povo Luzo, o povo português. Seu maior legado foi o Latim, que contribuiu fortemente para o surgimento da língua portuguesa, a primeira das línguas neolatinas. Deixaram uma importante herança nos costumes, na arquitetura, na irrigação, no sistema de aquecimento das águas, nas termas, na rede viária e pavimentações, construções de aquedutos e pontes, nos meios de transportes (como bigas e carroças), na metalurgia, nos artefatos de vidro, nos utensílios domésticos, nas culturas agrícolas. Cultivavam alho, cebola, nabo, figos, romã, laranjas, limão, peras maças e uvas. Criavam porcos, burros, carneiros, gansos, patos e pombos. Legaram-nos uma variedade imensa de pães. Modernizaram a cultura do vinho, introduzindo o plantio em mingorras, terrenos enladeirados e cistosos, e envelhecer o vinho em barris de carvalho. Avançaram no cultivo das oliveiras e introduziram o uso medicinal do azeite na cura dos ferimentos de guerra. Nas artes desenvolveram o mosaico, retratando cenas do cotidiano, legando para a cultura portuguesa até hoje o costume do uso de calçamentos com pedras coloridas, brancas e pretas formando desenhos, as chamadas calçadas portuguesas, que identificam até hoje a presença da cultura Lusa. Introduziram o cristianismo, o jogo de gamão, as corridas de biga e carroças, jogo das argolinhas, lutas dos gladiadores e competições de pelas, e boccia.

Visigodos

Originários do leste europeu, invadiram em 409 a península ibérica, aproveitando-se da queda e da decadência do império romano. Destacavam-se na arquitetura religiosa, influenciando as construções em arco, introduzindo cúpulas, colunas e pilares. Seu legado mais significativo foi a letra visigótica, criando a escrita cursiva e redonda. Sua presença é bastante sentida em Braga no norte de Portugal.

Mouros

Em 717 invadem a península Ibérica pelo estreito de Gibraltar e permanecem em território Lusitano por 700 anos. Sua presença foi mais acentuada na Estremadura, na Beira Litoral e no Algarve. Influenciaram sobremaneira a língua português,a infiltrando palavras e, com elas, costumes: alface, alfazema, acelga, açafrão, azeitona, azeite, alfaiate, algodão, almeria, almôndega, bairro, beduíno, camelo, laranja, limão, cenoura, mesquita, sorvete, xadrez, javali etc. Desenvolveram as técnicas de moagem pela roda de água e pedra mó, e continuaram a cultura dos vinhos. Formou-se uma população moçárabe, que era o cristão que vivia nas regiões dominadas pelos mouros sob seus costumes, e modejár, o árabe que se submetia a um acordo com o dominador cristão. A arte ficou modejár, cheia de elementos de ambas as culturas. A arte lusitana ganha arabescos, mosaicos, recortes, marcheteria e entalhes em madeira, pedras e madrepérolas e detalhes em gradis, e a arquitetura árabe ganha entalhes e pinturas, além de outros aspectos de construção romana. Os mouros influenciam demais a música lusitana, desde o Alaúde, instrumento musical de cordas e madeira, trazido pelos árabes para a península Ibérica, dando origem às guitarras portuguesas, até, posteriormente, os Violões. Da dolência, melancolia e lamento característicos do cantar, surge o fado, a música dos mouros tocada e cantada até hoje na Mouraria, bairro português. Os chalés, as ruas estreitas, as adagas e o costume de usar longas barbas também são uma influência moura.

Judeus

Desde o final do império romano as comunidades judaicas, ou judiarias, estavam presentes em Portugal. Viviam do comércio, do artesanato, do cultivo das videiras e olivais, da produção do vinho e do azeite, além dos rebanhos ovinos e beneficiamento da lã. Na era dos descobrimentos eram 10% da população de Portugal, onde, no período da Inquisição, foram mais tolerados, embora fossem induzidos a se batizarem no catolicismo. Eram uma comunidade organizada e rica, responsáveis por inovações científicas, principalmente na área da astronomia e cartografia. Vieram para o Brasil como Cristãos novos, cujos nomes eram alusivos a plantas e animais, fenômenos da natureza presentes até hoje nos nossos nomes de família.

Você Sabia?

Por Nairzinha

Fale Conosco:
Envie uma mensagem AQUI

Ligue:

71-99301-1000

  • youtube
  • facebook
  • instagram

CONHEÇA MAIS UM POUCO DAS NOSSAS REDES SOCIAIS